Quatro Fases da Lua
Moreno iluminado
Cabelos dos sonhos
RESENHA: SKIN PERFECTION EUDORA

Vamos falar sobre perdas?

Photo by Maria Tyutina from Pexels

 Já faz algum tempo que não posto nada aqui no blog, e tenho alguns motivos para isso. Eu realmente acho importante falar sobre o que houve nesse período em que parei de postar, pois sinto que o blog é um lugar onde eu posso me expressar e compartilhar todos os lados da vida: desde coisas que gosto até momentos difíceis. E, também, sinto que eu não conseguiria voltar a escrever e a compartilhar coisas por aqui sem antes escrever esse texto, que basicamente sobre morte.

Recentemente eu passei pela minha maior perda até o momento, minha avó. Ela faleceu repentinamente e isso foi muito difícil para mim e para minha família. Apesar de saber que a morte é algo inerente a nossa existência, vivencia-la é algo muito doloroso e difícil de entender. Durante esse período eu pensei e aprendi muito sobre a vida, sobre a morte, sobre mim mesma e sobre o quão valioso é ter família e amigos do seu lado, pois eles são o maior conforto que temos nesse momento. Lembro que quando recebi a notícia estava em um lugar onde não tinha proximidade com ninguém, e a sensação que tive era que meu mundo estava desabando. Quando fiquei perto da minha família, não consigo explicar o quanto fiquei melhor.

Diante do sofrimento, eu pude me conhecer melhor, perceber em mim mesma o meu luto particular e a forma com que estava tentando lidar com a morte. Até hoje vem um sentimento de estranheza e saudade, é como se minha cabeça não entendesse que minha avó não vai mais estar na casa dela, no sofá que ela gostava de ficar, que nunca mais vou ver e ouvir a risada dela. Mas ao mesmo tempo, me vem um certo conforto, pois eu a conhecia e sabia o quão difícil foi sua vida, o quanto ela sofria.

Sobre o luto, infelizmente ou felizmente (depende de cada um) a vida não nos da tempo para processar. Digo isso porque no outro dia eu tinha atividade avaliativa na faculdade e também precisei voltar a trabalhar. Eu acredito que até certo ponto isso foi bom para mim, pois apesar da dor, precisei me virar com as minhas responsabilidades e isso tirou a minha cabeça da situação.

Então, por fim, o que eu queria realmente dizer é que por mais doloroso que seja, não existe vida sem perdas, e que por mais que tenhamos consciência disso, jamais estamos preparados. Por isso, acho importante falar mais sobre a morte. A morte ainda é um tabu, é um mistério, que geralmente as pessoas evitam falar. Porém é algo tão normal quanto a vida, e talvez, se a morte fosse mais discutida, seria mais fácil enxerga-la de forma mais natural, não menos dolorosa, mas mais fácil. E apesar de tudo, descobri o quanto pude aprender nessa situação, principalmente sobre mim mesma.

Sobre 2017 e planos para 2018